quarta-feira, 28 de julho de 2010

Mulher do amigo meu - Safada

Num certo final de semana, estava sozinho na república pois todos haviam viajado, tinha acabado de acordar quando ouvi a campainha tocar. Levantei e fui atender, estava com uma bermuda de pijama mais solta e sem cueca. Quando abri a porta da casa me deparei com a Vanessa, namorada do meu companheiro de república Felipe, qua havia estado com ele a alguns dias atrás. Cumprimentei-a e ela me disse qua havia esquecido seu celular no quarto do Felipe e precisva pegá-lo. Como não sabia onde estava convidei-a pra entrar e procurar no quarto dele. Fiquei na porta observando ela procurar o aparelho. Ela estava com um shortinho bem curto deixando a mostra auqule par de coxas bem grossas, seios fartos quase pulando pelo decote de sua blusinha e seu cabelo loiro solto a balançar a cada movimento que fazia. Não aguentei me segurar ao vê-la se abaixando pra procurar debaixo da cama e meu pau que estava solto na bermuda logo endureceu. Entre um movimento e outro ela se abaixou próximo a mim e ao se levantar percebeu o volume que estava dentro da minha bermuda e me perguntou com uma cara de safada: - Isso tudo é por minha causa? Respondi meio sem jeito mas louco de tesão por aquelas coxas: - Me  desculpe mas é que não consegui me segurar. E completei: - É que você tem um par de coxas que deixa qualquer homem doido de tesão por você. Ela veio em minha direção segurou no meu pau que estava bem duro e disse: - E pelo volume nesta bermuda seu pau também deve deixar qualquer mulher louca de tesão. Neste momento já abaixei minhas bermuda e ela caiu de boca naquele pau duro e latejando. Ela engolia e sugava como se estivesse chupando um delicioso picolé. Ela passava a língua com movimentos circulares na cabeça do meu pau que me deixava mais louco de tesão. Já não me aguentando de tesão levantei e coloquei ela na parede de costas pra mim apertando seus peitos e esfregando meu pau naquela bunda enquanto tirava aquele minusculo short bem devagar. Ela parecia ter planejado, aquele momento, pois quando desci o short percebi que ela estava sem calcinha. Virei ela bruscamente e abocanhei seus seios fartos, durinhos e com os mamiilos bem rosados. Ela gemia de prazer enquanto chupava aquels peitos e acariciava a sua bucetinha molhada que tinha apenas uma tira de cabelo. Fique esfregando aquela bucetinha e chupando seus deliciosos peitos até que joguei ela na cama do Felipe e fui penetrando o meu pau naquela bucetinha inchada e molhada de tanto prazer. Ela gemia e pedia: - Me fode seu safado, você não estava com o pau duro por minha causa! Então me fode , vai!. Quanto mais ela falava, mais forte eu penetrava naquela bucetinha. Eu estava por cima e ela travava meu corpo com aquelas coxas deliciosas enquanto eu enfiava bem fundo meu pau duro. Virei de posição coloquei ela pra cavalgar sobre mim. Ela dava gritos de tesão enquanto eu apreciava aqueles peitos enormes. E ela sabia cavalgar, alternava entre subidas e descidas e algumas reboladas. Ja estava mais louco de tesão. Coloquei ela de quatro e sem pedir fui enfiando a cabeça do meu pau naquele cuzinho que também era delicioso. Ela gemia cada vez mais. Enquanto enfiava meu pau cada vez mais ela esfregava os dedos naquela bucetinha até que ela gozou e gemeu bem forte. Eu já estava segurando há um bom tempo e assim que ela gozou ela olhou pra mim e disse: - Goza em mim seu safado, goza.  Rapidamente, tirei meu pau daquele cuzinho e gozei tudinho na boca dela enquanto ela implorava pelo meu leitinho. Ficou ali se deliciando com minha porra enquanto lambia  levemente a cabeça do meu caralho. Depois disso tomamos um banho juntos onde ela chupava e batia uma punheta bem gostosa pra mim pois havia dito que estava com o cuzinho e a bucetinha ardendo de tanta força que havia enfiado nela. Aproveitei logo pra curtir aqueles peitos e coloquei meu pau entre eles. Meu pau se encaixava perfeitamente enquanto ela fazia os movimentos de vai e vem enconstando a língua em cada subida que meu pau dava. Não demorei muito pra gozar novamente. Ela me pediu pra não contar pro Felipe o que havia acontecido e disse que fez aquilo tudo pois morria de vontade de transar comigo mas que amava ele  Até hoje não tivemos outra oportunidade como essa, apenas nos cumprimentamos e as vezes rola uns olhares mais sacanas entre a gente, mas ainda fico louco de tesão por aquelas coxas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Posts Relacionados

Related Posts with Thumbnails